quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

O dinheiro é para a criação de empregos e para a educação


4 de Março


Dia Nacional da Luta em defesa da educação, nos Estados Unidos da América


No dia 4 de Março, uma quinta-feira, irão decorrer várias acções de luta em defesa do ensino público, nos EUA.


Por todo o país, estudantes, professores, e outros trabalhadores, bem como parentes e amigos preocupados, activistas públicos e várias organizações, irão aproveitar a semana do dia 4 de Março para, todos juntos, empreender várias formas de luta a favor do ensino público e da igualdade de direitos no acesso ao ensino superior.


Os efeitos da crise económica fez-se sentir em todos os sectores e o governo dos Estados Unidos está a realizar cortes nas despesas em diversas áreas dos serviços públicos, nomeadamente n a educação e na saúde. Várias unidades estão a ser enceradas o que não só está a privar as populações do seu usufruto como conduz a mais desemprego. Estes acontecimentos recentes vieram impulsionar ainda mais o processo de privatização destes serviços do qual resultará não só a degradação das condições de trabalho dos professores, uma vez que põe em perigo a união da classe, como deixará de fora do sistema as minorias mais frágeis: alunos estrangeiros e alunos com necessidades educativas especiais - nas suas ofertas não são contemplados o Inglês, como segunda língua e muito menos técnicos especializados em ensino especial, pelas razões óbvias, não é rentável.


São instituições que podem pertencer a grandes grupos económicos ou grupos de interesses que irão fazer uma selecção dos alunos e terão nas suas mãos o controlo dos currículos e dos gastos com a educação. As corporações e instituições financeiras mal podem esperar para pôr as mãos nos 800 biliões de dólares que ai são dispendidos todos os anos.


A administração Obama contribuiu para o processo de privatização do ensino público ao destinar 4 biliões de dólares aos diferentes estados para que estes competissem entre si no desenvolvimento de um novo plano para a educação. O programa,“Race to The Top”, corrida para o topo, prevê-se, conduzirá à progressiva redução das verbas gastas com as escola e cortes nos ordenados dos professores que tendencialmente serão associados aos resultados escolares dos seus alunos, abrindo as portas à possibilidade de despedimentos sempre que os alunos das respectivas escolas não apresentarem os desempenhos desejados.


A diminuição das receitas do estado, como consequência da crise económica generalizada, forneceu um bom pretexto aos governos dos vários estados dos EUA para que no futuro sejam feitos ainda mais ataques ao ensino público. Em Dezembro passado, 36 estados fizeram grandes cortes nas verbas para a educação o que obrigou a grandes reduções no pessoal nas universidades e a que houvesse menos dinheiro para gastar por aluno, mais cortes serão de esperar em 2010.


Neste clima de grandes reduções orçamentais, 4 de Março é o dia marcado para o lançamento de um movimento que pretende unir estudantes, educadores e outros profissionais na luta contra o ataque ao ensino público, com a demanda: “O dinheiro é para a criação de empregos e para a educação não para a guerra e para as prisões”.


Para isso é fundamental que os vários movimentos: a favor da criação de empregos; de defesa do ensino público; contra a guerra; contra a ocupação do Iraque e do Afeganistão pelos EUA, juntem esforços, adivinha-se pela frente uma luta longa e difícil.

Para mais informações sobre o Dia de Luta Nacional em defesa da Escola Pública, nos EUA


2 comentários:

毛衣 disse...

喜歡你的部落格,留言請您繼續加油........................................

Marcos disse...

Por coincidência, para o dia 4 de Março está agendada uma jornada de luta também em defesa dos serviços publicos. Mesmo aqui ao lado. É uma Greve Geral da Administração Pública na qual os professores vão participar. Já foi entregue o Pré-aviso de Greve pela Fenprof.
Não deixa de ser muito importante o que se está a passar nos EUA, não só no que se refere à Escola Pública mas também em relação aos serviços de Saúde.
Mas não deve distraír-nos do que nos diz directamente respeito.

obs.: o comentário anterior remete para um site pornográfico chinês. Não vejo nenhuma relação com Escola Pública...