terça-feira, 2 de setembro de 2008

Quando começou o tempo das facilidades?


Um prémio para quem conseguir encontrar o dia em que o tempo das facilidades começou para os professores:

«O primeiro-ministro, José Sócrates, criticou hoje a polémica sobre o número de professores excluídos dos concursos do Ministério da Educação (...)

"Muitos gostariam que o Estado contratasse mesmo que não precisasse deles, mas não é essa a nossa visão. O tempo da facilidade acabou", disse o primeiro-ministro. (...)

"Isso está fora de causa", acrescentou, lamentando que o início do ano escolar "seja vivido" com a discussão, "que não é novidade", do número de professores não colocados pelo ministério da Educação.

Antes, questionada sobre o mesmo assunto, a ministra da Educação, Maria de Lurdes Rodrigues, recusou prestar qualquer declaração.» (notícia daqui)

Comentário

1) A ministra cala-se. (“Para quê falar se José Sócrates foi tão demolidor?”). Mas as palavras do Primeiro Ministro são de uma insensiblilidade arrepiante. E só podem esconder um enorme rancor. Rancor com os professores que estão nas escolas e que resistem às suas injustiças e insensibilidade para com todos os professores desempregados ou precários. Mas também falta de visão. Ignorar que as escolas precisam de mais professores é meter a cabeça na areia (vê o post anterior).

2) Curioso mesmo é dizer que “o tempo da facilidade acabou” para acrescentar a seguir que a situação “não é novidade”.....ooops......Em que é que ficamos? Todos sabem.

1 comentário:

maria josé vitorino disse...

Quando acabará o tempo da facilidade para Sócrates e o seu governo? Ou será que já acabou (ver indicadres económicos, metade do crescimento ecnómico que Governo previa e anunciava, justificando imensas coisas, lembram-se?)? Ou será que afina o que fi demais foi a facilidade que lhe consentem nestas e noutras declarações?