terça-feira, 28 de julho de 2009

O que vai acontecer no início do ano lectivo?


À saída da última ronda de negociações com o ministério, Anabela Sotaia, dirigente da Fenprof, afirmou que «adivinha-se um ano a abrir de muito contestação, mas se o quadro for tão negro, estará tudo em cima da mesa». «[José Sócrates] não terá certamente descanso, durante a campanha eleitoral, por parte dos professores», garantiu a sindicalista.

É preciso pensar bem que protestos podem os professores realizar no início do ano lectivo.

O MUP sugere uma manifestação a 12 de Setembro. Mas a as aulas só começam a 14 de Setembro. Bem sabemos que o trabalho dos professores nas escolas começa mais cedo...mas é necessário mais tempo de mobilização para conseguirmos uma manifestação expressiva.

Seria óptimo uma nova manifestação gigante antes das eleições legislativas. Não há nenhum impedimento legal para fazê-la em período de campanha eleitoral como aliás aconteceu com a manifestação de 31 de Maio. Aliás, é uma das formas que os professores têm de se expressar nessa campanha, lembrando o poder político e os diversos partidos que a sua luta é longa, justa, dura e que estaremos dispostos a continuá-la e a ganhá-la.

Assim, por que não realizar a dita manifestação a 19 de Setembro? E será que uma greve nacional na primeira ou segunda semana de aulas constitui uma alternativa melhor? Ou será que os sindicatos preferem guardar as grandes energias para o período seguinte, aguardando as novidades que trará um novo governo?

São questões importantes e para as quais começa a ser urgente uma resposta. E que um debate sério e franco permita chegar a uma posição conjunta entre sindicatos e movimentos porque já vimos que é dessa forma que os professores ganham mais força.

1 comentário:

Elisabete disse...

Porque acredito que os sonhos tornam o mundo melhor. Votem no rapaz e ajudem-no a cumprir o dele.

http://www.rumoantarctida.com/