sexta-feira, 24 de outubro de 2008

Escola D. Manuel Martins (Setúbal)


Os professores da Escola Secundária Dom Manuel Martins, abaixo assinados, vêm, por este meio, tomar posição no que respeita à situação que passam a expor. (...)

Está claro para a classe docente que este modelo de avaliação é um modelo atabalhoado, desajustado, burocrático, anti-ecológico – pense-se na quantidade de árvores que vai ser necessário abater para produzir pasta de papel suficiente para todas as evidências, grelhas, fichas que o modelo comporta e obriga – que obriga os professores a desdobrarem-se em múltiplas tarefas cuja finalidade não está sob a sua alçada mas pertence, definitivamente, à esfera do governo que para tal foi democraticamente eleito pelos cidadãos aos quais prometeu as metas que agora tenta, por decreto, afectar aos professores.(...)

Em conclusão, é necessário reformular este modelo de avaliação, dando-lhe sentido, credibilidade e eficácia e reparando as injustiças que os diplomas legais impostos pelo Ministério da Educação consagram.
(adaptação do texto produzido pelos colegas da Escola Secundária /3 Camilo Castelo Branco, de Vila Real)

Setúbal, 23 de Outubro de 2008

Vê aqui todo o documento

1 comentário:

a disse...

Muito bem!! Bem hajam.

E?....